quinta-feira, 17 de julho de 2014

Na terra do Gás: Simplício exige cumprimento de acordo feito por termelétrica com moradores de Santo Antônio dos Lopes


O deputado federal Simplício Araújo (SD/MA) demonstrou preocupação com a situação em que se encontram muitos moradores do município de Santo Antônio dos Lopes e Capinzal do Norte. Até hoje muitas famílias ainda moram em áreas consideradas de risco por estarem perto do Complexo Parnaíba, um dos maiores complexos de geração de energia termelétrica a gás natural do Brasil.

“Quando o complexo termoelétrico foi instalado, em 2010, houve a assinatura de um termo de adesão que garantiria aos moradores das regiões próximas realojamento para áreas mais afastadas, além de garantir a entrega de infraestrutura básica como escolas e creches. Mas, passados quase cinco anos, nada foi entregue. Muitos continuam convivendo com o barulho da termoelétrica, com o cheiro de gás e são constantemente amedrontados pelos funcionários da termelétrica”, afirmou o parlamentar, ao cobrar o cumprimento desse termo de adesão para dar mais tranquilidade ao povo da região.

Segundo relatos, o prefeito de Santo Antônio dos Lopes, Eunélio Mendonça, se mostrou insensível com a situação vivida nos povoados próximos a termoelétrica, mesmo após o município ter recebido recursos dos royalties do gás

“Temos um prefeito que é capaz de cobrar de um candidato ao governo do estado convênios eleitoreiros mas se mostra insensível com relação à situação da população. Um município que já recebeu muito dinheiro proveniente dos royalties mas quem deveria ser o maior beneficiário nunca viu melhoria. Estamos entrando na justiça para bloquear os recursos da termelétrica para forçar o cumprimento do acordo feito com a população”, afirmou o parlamentar.

Segundo o deputado informou, os moradores não podem mais fazer roça ou acender carvão pois, como a usina está ao lado, o risco de incêndio se torna iminente. “Essas famílias tinham na terra sua subsistência, seu sustento. Não podem mais usar a terra e nem recebem compensação financeira”, disse.

Diante da situação, Simplício assumiu compromisso e cobrará, na sexta-feira (18), juntamente com um grupo de moradores do local, que a Defensoria Pública do Maranhão cobre o cumprimento do acordo, uma vez que o defensor Manoel Pereira Acioli assinou todos os contratos entre os moradores e a empresa. “As famílias têm direito a ter imediatamente o que lhes fora prometido desde 2012. Por isso iremos entrar com um processo judicial para bloqueio das contas das empresas até o cumprimento do acordo”, ressaltou Simplício.

A usina
o Complexo Parnaíba está localizado em Santo Antônio dos Lopes, no Maranhão.

Integram o complexo as usinas termelétricas Parnaíba I, Parnaíba II, Parnaíba III e Parnaíba IV. Atualmente já estão em operação as usinas Parnaíba I (676 MW), Parnaíba III (176 MW) e Parnaíba IV (56 MW), fornecendo energia elétrica ao Sistema Interligado Nacional (SIN).

O gás natural que abastece as usinas do Complexo Parnaíba é produzido pelos poços produtores da Bacia do Parnaíba. Atualmente o consumo de gás natural pelas usinas é de cerca de 6 milhões de metros cúbicos por dia. Foram decorridos apenas 18 meses do início das obras até a entrada em operação da primeira turbina do Complexo, em fevereiro de 2013. O Complexo Parnaíba tem capacidade licenciada para alcançar até 3.722 MW.

Nenhum comentário:

Postar um comentário