quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Simplício Araújo e deputados do Solidariedade impedem retirada de manifestantes do Plenário‏

André Dusek/Estadão

O líder do Solidariedade, deputado Fernando Francischini (PR), o presidente nacional do partido, Paulo Pereira da Silva (SP) e o deputado Simplício Araújo (SD-MA) ajudaram a impedir a retirada dos manifestantes do Plenário da Câmara nesta terça-feira (2), durante sessão do Congresso Nacional.
O presidente do Congresso Nacional, Renan Calheiros, mandou a Polícia Legislativa remover as pessoas que assistiam à sessão depois de algumas delas terem chamado a senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) de “vagabunda” enquanto ela discursava.
O esvaziamento das galerias por parte da polícia foi impedido por parlamentares que se colocaram entre os servidores e os manifestantes, entre eles, os do Solidariedade.
Simplício Araújo classificou a atitude do presidente do Senado de lamentável e que, independente de ser contra a matéria, o Solidariedade e demais partidos da oposição são contra a forma brutal como os manifestantes foram tratados.
"Não podemos aceitar que um partido como o PT, que chegou ao poder defendendo as manifestações pacíficas, aceite o que ocorreu hoje nas dependências da casa. É necessário que a população brasileira ocupe passivamente a Câmara dos Deputados e nos ajude a pressionar todos os deputados e senadores a votar contra a aberração que é o projeto que flexibiliza a meta de superávit primário a ser cumprido este ano", afirmou o parlamentar maranhense.
Fernando Francischini criticou a atitude de Calheiros: “Hoje, aqui na Câmara, foi o maior absurdo que já ocorreu nos últimos 20 anos, desde a redemocratização do nosso País. O senador Renan Calheiros, usando poder que não é seu, mandou retirar do Plenário manifestantes contra o PLN 36/14, aquele que o governo quer usar para encobrir a maquiagem no dinheiro público que desviaram que roubaram nos últimos anos”, disse.
O PLN 36/14 acaba com o limite de desconto dos gastos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e com desonerações tributárias para o cálculo do superavit primário. A oposição é contra esse projeto e tem obstruído os trabalhos do Congresso há várias semanas.
Depois de mais de uma hora de espera sem que as galerias do Plenário fossem esvaziadas, Renan Calheiros suspendeu a sessão desta terça-feira e transferiu as votações para a quarta-feira (3), às 10 horas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário