terça-feira, 7 de abril de 2015

Coroatá aniversaria amanhã, mas sem nada para comemorar.

Amanhã nossa querida cidade completa os seus 95 anos de emancipação, uma cidade acolhedora e cheio de encantos, com suas belas paisagens, mas muita coisa mudou, acontecimentos que marcarão deixou muitas feridas; "eita Coroatá com suas belas paisagens que não volta mais", jardins, praças e canteiros todos acabados, uma tristeza muito grande, começando da praça da prefeitura até as nossas árvores, tudo destruído, amanhã a cidade amanhecerá como dizem os poetas, mais triste. Mais com tudo isso, Parabéns Coroatá.

Na foto acima, mostra como era tão bonita nossa cidade.

Veja a historia de Coroatá contada aqui:

Os primeiros habitantes a penetrarem neste município foram os portugueses, e, a eles, juntaram-se mais tarde habitantes das zonas vizinhas. A cidade de Coroatá originou-se de “depósitos” ou “paiós” (espécie de posto) de fazendeiros e de visitantes de outras regiões, notadamente do Mearim. Com o progresso do povoado, chegaram novos imigrantes destacando-se os sírio-libaneses que, desenvolvendo o comércio, contribuíram na independência da localidade. Em 5 de novembro de 1843, através da lei n° 173, foi criada a Vila Coroatá, sendo este território desmembrado do município de Caxias e Itapecuru-Mirim. Após 77 anos Coroatá foi elevada a categoria de cidade, sendo assim seu aniversário comemorado no dia 8 de abril de 1920, favorecido pela lei n° 924, durante o governo do Dr. Urbano Santos de Araújo.

O primeiro nome da cidade foi Coroatá Grande, quando era ainda um arraial. Este nome derivou-se de uma planta existente na região chamada pelos moradores de piteira ou agave; a planta era originaria do México e os indígenas conheciam-na como Croatá-Açú. Mais tarde os habitantes começaram a se transportar para um lugar mais próximo do rio Itapecuru onde foi edificada a cidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário